7229748_DJWgLComo vocês sabem, eu não sou economista, muito menos tenho vocação para o exercício e ao estudo desta carreira profissional. No entanto, os neoliberais vivem dizendo que os governos petistas – Lula e Dilma – foram exitosos na economia porque herdaram as ótimas condições econômicas do antecessor FHC (PSDB).

Esquecem que o primeiro mandato de FHC, os mandatários criaram um mecanismo recessivo para garantir a estabilidade econômica. Abriram radicalmente a nossa economia, privatizaram estatais e diminuíram sensivelmente a atuação do Estado na prestação de serviços, a exemplo da saúde e da educação. Tudo em nome de uma dita racionalidade e eficiência, em que a “mão invisível” do Mercado seria sabiamente justo para regular a vida das pessoas.

Eu lembro muito bem que, em 1998, logo após a reeleição, FHC anunciou um pacote econômico para, segundo ele, manter a estabilidade da moeda. A receita foi: corte nos gastos públicos; aumento dos juros e da carga tributária; a criação da DRU (Desvinculação das Receitas da União) – mecanismo contábil para poder retirar as verbas constitucionais garantidas para as áreas sociais, como saúde e a educação; aumento do superávit primário e o famoso PROER (Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional), programa que ajudou, com dinheiro público, a reestruturação do sistema financeiro privado nacional.

Tais medidas foram impostas pelo FMI e serviram de contrapartida para que o órgão pudesse emprestar dinheiro ao Brasil. Depois vieram mais dois empréstimos.

Moral da história: a inflação aumentou, o déficit público cresceu e a balança comercial batia recordes negativo de forma sucessiva. Convivemos com as maiores taxas de juros do planeta, houve a elevação do desemprego. Além disso, o trabalhador viu seu rendimento mensal ser enfraquecido e o dólar chegou a beirar os R$ 4,00. Não esquecendo, obviamente, do aumento das disparidades sociais e do sucateamento dos serviços públicos.

O Brasil parecia o dependente químico que, para fugir da dependência, consumia mais drogas.

Por isso, quando vejo matérias como esta – link abaixo – recordo do discurso das viúvas do neoliberalismo. O mais engraçado é que, em período eleitoral, prometem tudo o que não fizeram nos anos 90 e escondem aqueles que conduziram a política econômica brasileira entre os anos de 1994 e 2002.

 

PS.: Há 12 anos, Brasil pedia o colo do FMI pela última vez:  http://www.brasil247.com/pt/247/economia/149113/H%C3%A1-12-anos-Brasil-pedia-o-colo-do-FMI-pela-%C3%BAltima-vez.htm

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s