Muito se acredita que a educação é um dos instrumentos mais palpáveis para a ascensão social, especialmente para as camadas mais vulneráveis da sociedade. No entanto, um estudo divulgado pelo jornal O Estado de São Paulo detectou que não é bem assim.

A matéria observou que 72% dos estudantes que obtiveram as mil melhores notas na última edição do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) são do sexo masculino. Estou falando da elite dos aprovados.

Os mil melhores candidatos (sexo e raça)

Contudo, quando se observa a base dos inscritos no ENEM percebe-se que há algo desproporcional. Dos 4,85 milhões de candidatos que realizaram a prova, 57,5% são mulheres.

Total de candidatos.jpg

Por outro lado, a maioria dos postulantes a uma vaga no ensino superior é egressa da escola pública. Porém , a maioria esmagadora das mil melhores nota do ENEM estudou em escola particular.

Tipo de escola pública ou privada

 

A discrepância não para por aí. No quesito socioeconômico a pesquisa identificou que a maioria dos melhores colocados pertence a famílias com rendimento superior a mais de 10 mil reais/mês e que os pais possuem nível superior.

Renda x colocação no ENEM

 

Em outros termos, a afirmação de que a educação garante a ascensão social não é uma obviedade. De igual modo, o discurso de que o esforço individual por si só permite a mobilidade social não compactua com os fatos.

Isto fica mais evidente quando se observa a relação entre trabalho e educação, mais precisamente a necessidade de conciliar os estudos com o trabalho.

Trabalho

Ora, percebe-se que as condições materiais para a sobrevivência são fundamentais para lograr as melhores colocações no ENEM, o que reforça a corrente de opinião que defende a implantação de políticas públicas de caráter assistencial (bolsa-família, assistência estudantil, etc.)

Se os dados apontados até aqui apontam que a educação acaba mantendo a estrutura social vigente em nosso país, a situação é mais degradante quando o recorte é feito com base na questão de gênero e racial. Se você for mulher e negra, suas chances de participar do seleto grupo é remota.

 

Mulheres.jpg

 

Por mais que o ENEM seja uma avaliação que visa garantir a igualdade de condições para todos os inscritos, ele acaba repercutindo a desigualdade social típica da sociedade brasileira.

Em suma, pode-se afirmar que a educação brasileira, por mais tenha cumprido um papel importante para democratizar o conhecimento, tem contribuído muito pouco com uma das principais chagas que atinge o país, a saber, a desigualdade social.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s